quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Em busca de palavras, na rota do sol



Sigo a rota do sol
quando o vejo bem longe
Irradiando sua luz já branda,
expondo um entardecer tranquilo
de cores tênues, pálidas,
antes do anoitecer...
Vou em busca de palavras
no lusco-fusco, esparramadas,
abandonadas ao ocaso...
E minha alma se inunda
nessa cascata que magia infunda,
aura abençoada, tobogã dos sonhos,
ondulações de cores
suaves como o outono
de folhas caídas,
tapete verde-musgo
mesclado de amarelo-ouro...
Trilha para a fantasia...
Crepúsculo que finaliza o dia
e que sacia a alma ávida do poeta,
transvestindo rotas em magias
ao nascer da mais etérea poesia.


_Carmen Lúcia_

Nenhum comentário:

Postar um comentário