quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Desconsolo






           













Hoje, após anos de poesias
ainda me encontro caçando sonhos
um tanto meio que aturdida…
Os planos já não somam tanto,
perderam o brilho da magia,
 não acompanham o ritmo da vida.
Porém me pego ainda iludida
equilibrando realidade e fantasia,
vivendo entorpecidas utopias,
gastas, choradas, feridas.

Vejo o sol nascer, o céu se iluminar,
as cores pincelarem um rico cenário
a ornamentar um mundo de cruezas,
a lua a se achegar mostrando seu mistério,
mistificando a lei do universo,
trazendo o belo e toda sua grandeza
onde a beleza não se encaixa,
onde o homem é impermeabilizado
para que seus respingos não o fragilizem
e o que é humano se faça despertar.

Vem, inspiração, ajuda-me a sonhar
mesmo que não haja mais motivo…
Faz-me digna de seu dom,
aumenta o tom de minha poesia,
preciso tanto ouvir seus versos,
conhecer as rimas e sentimentos
inversos e desconhecidos
que perdidos hoje me alagam
e não falam mais a minha língua.


Carmen Lúcia


Nenhum comentário:

Postar um comentário