domingo, 20 de outubro de 2013

Ela


Ela

Ela

Atravessa a porta destravada,
tão cedo descobre a estrada.
Parte, ávida de anseios,
grávida de sonhos e devaneios.

Quer recuar, sente medo.
Desconhece a vida
e seus segredos...
Decide continuar.
O novo mundo a atrai.

Pisa os campos em flores,
 vê pássaros cantores e cores,
 grama macia, cheiro de mato,
alecrim deixando seu rastro.

De repente, a relva vira asfalto
e os campos, selvas de pedras
trucidando flores e pássaros cantores ,
exalando cheiro de óleo diesel.
E o mundo se torna desprezível.

Conhece a vida e seus enredos
e a cada experiência vivida,
uma ilusão perdida...
Amores irrisórios, oportunistas,
frutos da sociedade capitalista,
tolhem sua identidade, sua ingenuidade.
O abuso e a exploração entram em ação.

Hoje traz o riso nos lábios
e lágrimas nos olhos...
No sorriso de menina há o pranto da mulher.
Seu coração diz não,
mas em contradição
sua boca tem que dizer sim.

_Carmen Lúcia_


Nenhum comentário:

Postar um comentário